13.4.13

Companhia aérea cria 'zona do silêncio' para impedir barulho de crianças


A AirAsia, uma companhia06 área que faz voos econômicos, criou recentemente em seus aviões a zona do silêncio, onde crianças menores de 12 anos não podem entrar. A medida é para impedir o barulho provocado por bebês e crianças de colo, que vira e mexe irritam passageiros.

Para garantir um assento na área silenciosa, o viajante terá que desembolsar mais US$ 11 a US$ 36 por passagem. O preço nem é tão alto assim se comparado com os benefícios, um deles e o principal é simplesmente o silêncio durante a viagem.

Em resposta à medida, a companhia WestJet aproveitou o dia 1º de abril para satirizar a decisão da empresa e fez um anúncio chamado de Dia da Mentira, em que garantia cabines sem crianças. A companhia também publicou um vídeo que mostrava crianças sendo carregadas junto com as cargas.

Brincadeiras à parte, a questão virou polêmica e envolve principalmente a questão da valorização ou desvalorização do silêncio. O modo como o barulho é visto por culturas diferentes também foi discutido.

Ouvir música alto, gritar, falar ao telefone aos berros em público e ouvir passageiros conversarem como se estivessem com mega fones formam o cenário cotidiano de viagens áreas.

Para Mike Goldsmit, ex diretor do grupo de acústica do Laboratório Nacional de Física da Inglaterra, o barulho “irrita, estressa e oprime” muitas pessoas. Ele também é autor de “Discord: The Story of Noise” (Desarmonia: uma história do barulho). Para ele “o barulho é uma intrusão, um desafio ao nosso direito de controlar o ambiente que nos cerca”.

Enquanto a cultura do silêncio não se instala no mundo, passageiros aplicam medidas alternativas para garantir a tranquilidade durante o voo. Fones de ouvido são as melhores e mais potentes (quando de boa procedência) objetivos para fugir do barulho irritante  que vem de fora. Mas também há quem apele para os medicamentos de dormir ou simplesmente resolva encarar feio quem perturba ao lado.

Fonte: Folha

Um comentário:

Serena disse...

Matéria muito interessante. Não sou intolerante com choro de crianças mas não são somente os passageiros (alguns) que ficam estressados, em vôos longos como SP-Paris, etc., mas também os pais dos bebês ficarão aliviados por terem um local onde possam ficar sem incomodar os demais quando seus filhos choram. Achei legal! :)