31.3.15

Sobre as especulações da catástrofe com o voo Germanwings 9525.

Por Cmte. Tito Walker

"Quando se perde um parente ou amigo querido em um acidente, é sempre um sofrimento. Principalmente pela inesperada (e indesejável) interrupção da natural jornada da existência. Algo fica fora de lugar em nossa lógica sequencial. Primeiro um grande desconforto, um peso no peito. Após, perguntamo-nos o porquê deste “castigo”, onde erramos para recebermos este sofrimento? Finalmente, vamos entendendo ser inelutável e iniciamos a busca da consolação, tentando ouvir as vozes que nos recomendam que “o passar do tempo, faz passar aquela dor”. 

Investigadores de acidente e especialistas em crise são treinados para respeitarem este período onde as pessoas estão mais vulneráveis ao sofrimento. Jornalistas são treinados para vender notícia. Ultimamente, no entanto, temos visto uma sequência quase ininterrupta de acidentes onde aqueles de quem se espera o comedimento são os que mais buscam os holofotes da mídia. Vimos isto no acidente na Base Aérea de Santos, 
estamos vendo o mesmo no dos Alpes franceses. 

Fico imaginando o turbilhão de sentimentos dos familiares dos passageiros do voo. Ou qual a reação dos pais de um possível (e talvez provável) responsável, inocentes cujos vizinhos são aqueles em turbulência de emoções. Fico procurando entender quanto desta falta de ponderação está na conta da riquíssima indústria aeronáutica e dos barnabés de governos concedentes, que – por óbvio – saem incólumes antes mesmo de ser completada a Comissão Investigadora do Acidente. (E sabemos, tristemente, que continuarão impunes). 

Especialistas de todos os matizes deixam-se levar pela corrente... exatamente aquilo que os cursos de Investigação dizem para não fazer. 

Há, não tenho dúvida, algo de podre nos céus além dos aviões de carreira. E falta de sentimento humanitário no desrespeito àqueles que estão chorando suas imensas perdas. Não para isto fomos feitos...

TITO WALKER



* - Tito Walker está na Aviação desde 1961, tendo atuado na Segurança de Voo como investigador aeronáutico formado pela 3ª turma do então Sipaer, em 1971, com especialização em Estocolmo um ano depois. Foi piloto de combate na FAB, Cmte da Varig por 32 anos, Especialista em Regulação e Inspetor de Operações na Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). Tem mais de 23 mil horas de voo.

12 comentários:

André Luis Soter disse...

Caro Comandante,
Perfeito nas observações.
O que me impressiona é que ultimamente, em questão de horas (sim, horas, e não dias), a imprensa noticia informações das "caixas pretas" porventura encontradas.
Na época de Curso do CENIPA (ASV), salvo engano, nos orientavam que somente após o termino da investigação (ou quase isto) eram concedidas algumas partes de dados e voz, preservando de forma reservada e sigilosa praticamente 90% ou mais do seu conteúdo.
Hoje, virou banalidade de dados e informações.
André Luis Soter

Thiago Bergo disse...

Prezado Cmte Tito Walker,
Meus parabéns pelo seu texto. Equilíbrio, visão ampla, profissionalismo, cultura de Gestor, approach técnico.
Como Especialista em Gestão de Planejamento em Resposta a Eventos de Crise, tenho observado também inúmeros atropelos e muita vontade de sintetizar aquilo que ainda é desconhecido....
Num Mundo onde o imediatismo faz vender e "bombar" as Mídias, há que se muito ´serio e equilibrado ao tratar de abordar possíveis evidências em relatórios consumados e julgamentos precipitados...

Parabenizo o blog Direto da Pista por tê-lo aberto este espaço. Desejo ao Senhor pleno êxito na sua trajetória como Colaborador deste conceituado veículo de informação. Com respeito profissional e admiração.
Thiago Pinto
Ex-VARIG (1985-2006)
Crisis Management Center - Planning Manager

Rafael Matera disse...

Segue resposta do Cmte:

"Meu colega André Soter,

Obrigado por seu pertinente comentário. Saudade daquela potência brasileira, a "nossa Varig", hoje transformada em pó.

Você está certo, era ASV para os civis, sim (Agente de Segurança de Voo). Fiz o curso de Prevenção e Investigação para OSV (Oficial de Segurança de Voo) em 1970, como Tenente, ainda no 1º/5º GAv, voando o Invader, A-26 (na FAB designado como B-26, aeronave que era o Marauder). À época ainda não fora criado o Cenipa (só em 1971) e o "Chefe do Sipaer" era o então Cel. Perissée, oficial de conduta exemplar.

Você tem razão, o sigilo na Investigação de Acidente Aeronáutico era para preservar a possibilidade de melhor se esclarecer as causas do acidente, para evitar outros com causas semelhantes. Trocou-se, inclusive, o termo "Inquérito de Acidente Aeronáutico" para "Investigação de Acidente Aeronáutico", mantendo-se a mesma sigla, porque palavras induzem muito, é sabido. Incentivava-se a verdade, a narração dos fatos como foram mesmo, não havia da entidade a intenção punitiva, tudo para para mitigar o receio do depoente com vistas à efetividade, no porvir. Até hoje este intuito permanece.

Acontece que há uma grande pressão em cima dos Investigadores por parte da mídia e da Justiça. Campos do sensacional um e do confronto, outro. Mas até isto, esperamos, está mudando. Já se fala muito em deontologia nos meios de comunicação e de "solução mais adequada de conflitos" (DAR, em inglês) no meio jurídico. É esperar para ver, contribuindo com o que pudermos.

Grande abraço,

TW."

Rafael Matera disse...

Segue reposta do cmte:

"Thiago,

Obrigado pelo incentivo. Concordo absolutamente com sua análise. Estaremos juntos nesta luta, almejando não deixarmos esquecer que há um humano a considerar, não só máquinas.

Lembro-me de uma palestra sua sobre "A conduta da Varig na Crise", no auditório do Hotel Tropical em Manaus. Você era o Gerente da área e fez uma explanação sobre a Sala de Crise", os Procedimentos e como nós, Varig, encarávamos a responsabilidade para com nossos passageiros. Até me deu, por eu ser o Cmte do Voo 204, 5 min para eu falar sobre o empenho que tínhamos na Segurança de Voo, lembra-se? Uma noite onde estava presente a alta sociedade civil e militar, a convite do Gerente do hotel.

Tempo bom que nos foi, e a todos os brasileiros, surrupiado.

Abraço fraterno,

TW."

Carlos Zeitoune disse...

Eis aí um cidadão, o Cmte. Tito Walker, que deve ser ouvido e, melhor, consultado, quando o que estiver em jogo for segurança operacional na aviação e dignidade profissional. Parabéns ao Blog e aos seus premiados leitores!

Clayton Roberto disse...

Infelizmente o que o Cmte disse a respeito do jornalismo atual é verdade, só querem vender notícias, doa a quem doer, o importante é garantir o show de horrores.

Espero que os investigadores deste acidente sejam imparciais, outro fato interessante sobre este acidente é a quantidade de "teorias de conspiração" que este acidente está gerando, MEUS DEUS, estão transformando o co-piloto em um MONSTRO, cara, ninguém sabe ainda o que aconteceu ali, as pessoas adoram arranjar um culpado, poucos admitem que há uma grande falha no sistema, enfim, vamos esperar pra ver aonde isso vai...

Cyro A Franca Jr disse...

Meus parabens ao novo membro, colega e amigo Cte Walker ! Sempre muito correto e autentico em seus dizeres ! Abracos Franca Jr Cyro

peterabudhabi disse...

Parabéns ao Blog pela decisão de oferecer o seu valioso espaço ao meu extraordinario colega piloto Cmte Tito Walker, grande e nobre batalhador das causas aeronáuticas e humanas. Me orgulho de ter dividido com ele diversas experiências de vida dentro e fora da cabine de comando, das quais sempre pude trazer comigo valiosas lições de vôo e de vida!
Saúde e vida longa Tito!

Rafael Matera disse...

Resposta do Cmte Tito ao Carlos ao Carlos Zeitoune:

"Zeitoune é um colega da antiga Varig, onde um padrão de qualidade foi desperdiçado pela ganância e ignorância de corruptos, todos hoje locupletados com a divisão imenso patrimônio da empresa, que óbvio se perdeu neste butim. Funcionários e credores ficaram tentando “ouvir estrelas” (amai para entendê-las...), já que não podem entender o que houve com aquela empresa que amavam. Zeitoune jamais deixou de estudar e tem vários posicionamentos exemplares em suas opiniões sempre fundamentadas em filosofia da ciência. Suas palavras quedariam em suspeição no Judiciário, por nossa grande amizade, mas sei de sua sinceridade e sei de minhas limitações."

Rafael Matera disse...

Resposta do Cmte Tito ao Clayton:

"Clayton, sua opinião é apoiada por vários de nós. A imprensa, como poder, pode e faz muito bem, por várias vezes, em jornalismo investigativo, desvelando-nos importantes mazelas. O problema é quando fatos são divulgados por lobbies de poderosos. É a grande diferença entre propaganda e publicidade. Quando se faz imagem de fixação em um só aspecto, tornando “nebulosos” outros contribuintes, aí se faz a imprensa marrom, característica de todos os regimes hegemônicos e poderes absolutos. Vamos esperar para ver aonde vai, mas agindo contra a onda interesseira em “lucrar acima de tudo”. Obrigado e grande abraço. "

Rafael Matera disse...

Resposta do Cmte Tito ao Cyro A Franca Jr:

"O Cmte França Jr. foi instrutor de controle de precisão em Harley-Davidson na Polícia de Los Angeles, LAPD. https://www.youtube.com/watch?v=99KKx7cB-Ok&list=FLIH6cxBWsBrfMAOpuRTkAgA Faz frequentes rallies nas montanhas dos USA, as que têm as curvas de maiores coeficientes de dificuldade (às vezes é multado por algum policial amigo, lá é assim...). Também, sem dúvida, Cyro França Jr. é o melhor piloto de aeronave que conheci. Quando em Portugal, era famoso por sua perícia nas aproximações no Funchal, com o 727. Sempre disse que não gosta de estudar, mas nas vezes em que foi a cheque comigo, no 767, não me lembro de ninguém conhecer tão detalhadamente os sistemas da aeronave. É também amigo dos amigos e defensor dos menos aquinhoados, um valente “orientador” dos menos respeitosos. Às vezes com métodos nada ortodoxos. Obrigado, Cyro, pelo apoio. Bons rallies e long life to the dangerous Black Wolf, an actual Airline Captain. https://www.facebook.com/blackwolfcaptain"

Rafael Matera disse...

Resposta do Cmte ao Peter:

"Peter, obrigado pelas gentis palavras. A consideração é mútua, assim como as lições são sempre relacionais, ambos aprendem, ambos ensinam. E se aprende com os dois aspectos, o acerto ou a errância. O importante é sabermos retirar o bom dos ensinamentos, em busca do Bem. E, como seu texto bem define, di+vidimos, ou di+vivimos. Alles gute! P.S: 1.700 colegas voando no exterior. Isto é que é desperdício. Aliás,... "